segunda-feira, 21 de março de 2016

O senador Aécio Neves (PSDB-SP) e o Deputado Eduardo Cunha (PMDB) dando como certo o impeachment, assumem compromissos ao novo Governo



O senador Aécio Neves (PSDB-SP) afirmou que o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o deputado Eduardo Cunha deve assumir compromissos com a oposição  caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada da Presidência. O tucano afirmou ao jornal "O Estado de S. Paulo" que o vice tem de se comprometer a não concorrer à reeleição, não interferir nas próximas eleições municipais e estaduais.

Aécio tem conversado  diariamente com o Deputado Eduardo Cunha ( PMDB sobre a possibilidade de Temer assumir, caso Dilma seja afastada pelo Congresso. Entre esses interlocutores estão os ex-ministros Nelson Jobim e Armínio Fraga, o deputado Roberto Freire (PPS-SP) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Apesar de sempre ser apontado como provável ministro de Temer, ele diz que o PSDB deve esperar para discutir cargos. No entanto, está articulando com Cunha formas de aprovar o impeachment na câmara para o sucesso da empreitada no Senado.

Na avaliação de Aécio, "o novo governo não deve realizar nenhum tipo de retaliação a nenhuma força política". O senador disse ainda que "acho altamente provável que o impeachment se materialize" e que "seria melhor para o país, para a política e para ela própria que a presidente Dilma renunciasse, mas essa é uma decisão que cabe exclusivamente a ela".